December 19, 2018

1.2 Perspectiva mundial para a indústria do ovo

A produção e o consumo mundial de ovos de mesa alteraram-se significativamente nas últimas décadas. Os países menos desenvolvidos e os países emergentes desempenham agora um papel muito mais importante na produção e no comércio mundial de ovos, com a Ásia a assumir indubitavelmente a liderança. Fonte: – Prof. Hans-Wilhelm Windhorst, Vechta, Alemanha, International Egg Commission (IEC) 1 Special Economic Report (Abril 2011)

A produção global de ovos de casca aumentou de 35,2 milhões de toneladas em 1990 para 61,2 milhões de toneladas em 2008, ou seja, 73,6%. O Professor Windhorst, analista estatístico, IEC estima que em 2015, a produção de ovos terá de atingir 70,9 milhões de toneladas para fazer face à procura global.

O maior aumento em termos absolutos ocorreu na Ásia, com 22 milhões de toneladas, seguindo-se a América do Norte, com 2,7 milhões de toneladas, a América Central e do Sul com 1,6 milhões de toneladas e a África, com 1 milhão de toneladas. O notável aumento do volume de produção na Ásia levou a uma considerável alteração do padrão espacial da produção de ovos.

Enquanto que, em 1990, a contribuição dos países asiáticos e europeus para a produção mundial total era ainda bastante semelhante, em 2008 a situação tinha-se alterado completamente. Com uma quota de 58,6%, a Ásia assumia uma posição dominante. No mesmo espaço temporal, a Europa perdeu quase metade da sua quota e todos os restantes continentes também não foram capazes de manter a sua contribuição.

A Europa foi o único continente com uma diminuição do volume de produção em termos absolutos, perdendo 1,5 milhões de toneladas, devido maioritariamente ao processo de transformação socioeconómica na Europa de Leste. A alteração espacial descrita reflete a dinâmica da produção de ovos em vários países menos desenvolvidos e em países emergentes.

O consumo mundial de ovos triplicou nos últimos 40 anos e as expectativas dos consumidores em relação à qualidade aumentaram com a mesma rapidez. Em 2015, a produção de ovos terá de atingir 70,9 milhões de toneladas para fazer face à procura global. A questão recorrente para a indústria internacional do ovo, é, como aumentar a produção de ovos de forma suficiente para alimentar a crescente população mundial e simultaneamente cumprir com o aumento da regulamentação.

 

 

Alguns factos interessantes

  • Mais de 65% da produção global de ovos ocorre na Ásia – para além das operações em grande escala,        para os supermercados e para a indústria de transformação, a venda de ovos na rua também contribui significativamente para o aumento do consumo. (stock shot)
  • Dos dez principais países em 2008, quatro localizavam-se na Ásia, três no continente Americano e três na Europa. Entre os principais países produtores de ovos, apenas um, a França, era um país membro da UE.
  • O consumo de ovos na Índia é o mais baixo da Ásia, com menos de 50 ovos per capita por ano.
  • 80% da produção chinesa de ovos ocorre em operações caseiras e familiares de pequena escala. Os chineses consomem anualmente mais de 300 ovos per capita, no entanto, não há excesso de capacidade no mercado.
  • O Japão é um dos principais países importadores de ovo produtos no mundo, adquirindo ovos à Alemanha, à Holanda e aos EUA.
  • Os ovos utilizados para o processamento encontram-se no ponto mais alto de sempre na América do Norte, 32% da produção total (até 50% das instalações in-line em 2008), enquanto que na Europa cerca de 27% de todos os ovos produzidos em 2008 foram adquiridos por processadores.

É expectável que o padrão atual do comércio de ovos não mude drasticamente nos próximos anos. Existirão ainda três principais clusters de comércio de ovos, um na América do Norte, um na Europa Ocidental e um no Sudeste Asiático. Está a desenvolver-se um quarto cluster entre a Índia e os países da Ásia Ocidental.


[1] solely dedicated to eggs representing 60 countries with over 80% of global egg production