December 19, 2018

1.3 Compreender o sector dos ovos na UE

Existem aproximadamente 28.000 produtores de ovos na UE e a sua maioria são empresas privadas de cariz familiar. A indústria de ovos é impulsionada pelo volume e preço de custo.

As informações mais recentes da indústria podem ser consultadas em

A estrutura geral do sector dos ovos da UE é …

A UE tem sido mais do que auto-suficiente no consumo de ovos, exportando um superávit de 2,0% ou 142.000 mton. (equivalente a 2,3 biliões de ovos) para países terceiros. Fonte: Comissão da UE (CIRCA). No entanto, isto provavelmente mudará em 2012, à medida que o excedente de ovos é reduzido em resultado da mudança das gaiolas convencionais para as gaiolas enriquecidas, a partir do início do ano.

A França lidera a tabela classificativa da UE em termos de produção de ovos de casca, seguida pela Itália e Espanha com o Reino Unido ocupando o 6 º lugar.

Entre os estados membros da UE, os Países Baixos produzem 40 por cento de todos os ovoprodutos líquidos exportados, dos quais a Alemanha importa a maior quantidade. Apesar de em menor quantidade, os holandeses são também os principais exportadores da União de ovoprodutos desidratados, sendo o Reino Unido o principal importador.

É interessante analisar o contexto da UE vs números globais de galinhas poedeiras e de consumo:-

 

5400 Mio galinhas poedeiras no mundo 

1.500 Mio. China

420 Mio.              UE

280 Mio.              EUA

160 Mio.         Russia

29,5 Mio         RU

2,1 Mio.          Irlanda

Consumo de Ovos por pessoa / ano 

 

México                   350

Japão                     330

China                        320

França                      250

Áustria                     230

França                      229

Alemanha                  203

Reino Unido              187

Países Baixos            185

Espanha                       182

Irlanda                        170

Índia                         43

Fonte: PVE indicadores 2009

Desde 01 de janeiro de 2012 a produção de ovos em gaiolas convencionais é proibida, sendo apenas permitidas a partir dessa data as gaiolas enriquecidas. Com a chegada do final do prazo para a proibição da UE sobre gaiolas não enriquecidas para galinhas poedeiras, os produtores de ovos da UE têm feito enormes esforços para se converterem para os novos sistemas. Estima-se que na totalidade da UE, eles tenham investido mais de 5 biliões de euros.
O setor em geral, concorda que os quatro principais desafios para o mercado de ovos da UE são:

– Os valores relativos do euro e do dólar americano;
– Os preços de energia e da ração animal;
– As directivas e legislação comunitárias;
– A pressão dos governos sobre os retalhistas para manterem baixos os preços dos alimentos durante a recessão global.