December 19, 2018

5.3 De gestão – a prevenção de doenças, biossegurança

Os produtores de ovos seguem protocolos rígidos de biossegurança e prevenção de doenças na exploração. Enquanto parte do sistema de biosegurança, a rastreabilidade desde a origem até ao consumidor é uma garantia de controlo e segurança alimentar. Desde 2004, cada ovo é marcado na casca com um código que indica a exploração de origem e o sistema de alojamento em que foi produzido. Isto permite ainda, identificar e corrigir quaisquer problemas de segurança alimentar em toda a cadeia.

Os desafios da doença podem ter um grande impacto na eficiência, mas as melhorias na nutrição, vacinação e biossegurança têm contribuído para reduzir o seu impacto. A reprodução para melhor resistência à doença, nomeadamente através da adoção de tecnologias moleculares, será uma componente dos futuros programas genéticos. Os avanços futuros na indústria dependem da aplicação de novas ferramentas moleculares para o desenvolvimento de melhores técnicas de diagnóstico para programas de vigilância de doenças nas aves e de vigilância dos agentes patogénicos de origem alimentar.

A experiência passada demonstrou a necessidade de resolver rapidamente os problemas patogénicos de origem alimentar na carne das aves e nos ovos, se se quiser manter a confiança dos consumidores na segurança dos produtos avícolas.

Algumas dicas de aprendizagem para assegurar a biossegurança:

  • Limpe rotineiramente a ração derramada.
  • Trate a água de superfície utilizada para o consumo das aves para um padrão potável.
  • Garanta que as pessoas que entram na exploração aderem estritamente aos protocolos de biossegurança em vigor, de forma a evitar a contaminação cruzada.
  • Certifique-se que os motoristas dos camiões seguem rigorosamente os protocolos de biossegurança da exploração, quando:
    • recolhem as aves mortas.
    • entregam ou recolhem os pintos e as aves.
    • recolhem aves.
    • entregam ovos.
    • entregam alimentação.
  • Elimine devidamente as aves mortas.
  • Controle roedores e animais selvagens.
  • Evite o contacto entre as aves da exploração e animais ou aves selvagens.
  • Aplique controlos de biossegurança.

Infelizmente, as tecnologias desenvolvidas para os sistemas de produção industrial com controlos rigorosos de biossegurança têm pouca aplicabilidade nos sistemas agrícolas mistos de pequena escala. Os agricultores mais pequenos tendem a ser menos avançados tecnologicamente, operando com aves indígenas, sistemas de alimentação desadequados, controlo de doença mínimo e habitação básica. No entanto, a aplicação de algumas tecnologias relativamente simples (por exemplo, o confinamento da criação no curto prazo, a criação de pintos com dietas adequadas, a vacinação contra a doença de Newcastle e habitação segura durante a noite de todas as aves) podem levar a melhorias profundas na rentabilidade dos pequenos produtores, na segurança alimentar e no empoderamento das mulheres enquanto tratadoras das aves. Fonte: Pym et al, 2008.